PAE - UM RECANTO DE PAZ

UM REDUTO DE PAZ DE "MARIA DOLORES"

sexta-feira, 9 de junho de 2017

Sinopse do livro Cartilha da Natureza

José Sola

Eis-nos aqui mais uma vez, no desejo ardente de sintetizarmos uma obra escrita pelas mãos saudosas de nosso inesquecível médium, Francisco Candido Xavier, e esta foi escrita pelo espirito amigo de Casemiro  Cunha, um de nossos poetas do além.
O autor do poema a prece do espiritismo, nos apresenta nesta obra, um compendio de poesias maravilhosas, que nos acordam as fibras mais intimas da alma, para as belezas sublimes da vida, e para a necessidade da evolução.
O espirito amigo nos escreve quadras que nos alentam a alma para as grandezas da vida, acordando-nos para as responsabilidades que nos compete viver, desde que desejemos viver bem, pois somos dotados do livre arbítrio, então, viver bem ou mal, só depende de nós mesmos.
A poesia é um meio de comunicação sublime, pois através deste meio de comunicação, expressamos a beleza e o esplendor da vida, manifestamos o nosso verbo e exprimimos nossa gratidão, e nosso louvor ao Ser Supremo do universo, ou seja, expressamos nossos sentimentos mais íntimos.
Mas se pararmos para apreciar a vida em seu contexto geral, compreenderemos que Deus que é a vida do universo nos fala de forma poética, embora não se utilize do verbo na expressão articulada, pois como já apreendemos informados por nossa maravilhosa doutrina, este processo de comunicação de que nos utilizamos, atende apenas ao nosso momento evolutivo.
Para corroborar o que dizemos, vamos mais uma vez, lembrar Emmanuel, quando em seu livro Há 2000 anos, viveu seu encontro inesquecível com Jesus, e guardava uma preocupação intima, de como estaria se comunicando com o Mestre.
E orgulhoso como se demorava então, vestido como um plebeu para não ser reconhecido, sentou-se em um banco de pedra, frente ao lago azul de Genesaré, e lucubrava em sua mente, Ele sequer sabe que eu estou aqui, mas mesmo que nos encontrássemos, como poderíamos nos entender, Ele  fala o aramaico, a linguagem arcaica dos judeus, e eu falo a linguagem clássica dos romanos.
Quando de repente ouve passos que se aproximam, e eis que surgi a figura enérgica, mas dócil do Mestre, que o envolve com seu magnetismo, e sem fazer qualquer pronunciamento verbal, lhe diz.
Senador romano, o que fazes aqui ao crepúsculo da tarde, ao cair da noite, sei que não estas aqui por tua livre e espontânea vontade, estas a pedido de tua esposa, e de tua filha que esta enferma, ela será curada, não por teus méritos, mas os de tua esposa.
E quanto a ti, seria melhor que me procurasses com o clarão do dia, para que teu orgulho caísse por terra, entretanto, se aproveitares este minuto precioso no relógio de tua eternidade, séculos de dores e expiações te serão poupados; mas infelizmente Emmanuel não o aproveitou nessa época.
E conforme o próprio Emmanuel, esta conversação aconteceu de alma para alma, de coração a coração, e o pensamento foi o instrumento deste dialogo, em momento algum, o Mestre abriu seus lábios para pronunciar uma palavra articulada.
E para comunicar-se conosco, Deus nos fala de mil modos, não através do verbo articulado, mas do verbo que é expressão, do verbo que é criação, e para nos revelar seu amor na vida, se utiliza da tela majestosa da natureza, repletando-a de cor, beleza, e vida, encantando-nos as fibras mais intimas da alma com Seu esplendor.
Nós vidas da Suprema Vida, não criamos nada, pois somos parte da Vida Suprema do “Criador”, quando concebidos, ou melhor, quando manifestos de Deus, herdamos infinitas potenciações que se demoram em estado de latência na alma como um eterno vir a ser.
Tudo o que estaremos desenvolvendo na eternidade, já esta contido em nosso inconsciente puro, e estas potenciações vão se maturando através das infinitas experienciações e vivenciações, que realizamos em nossa caminhada eterna.
É natural que no exteriorizar de nossas potenciações que se demoram como um eterno vir a ser acontece à participação dos elementos já exteriorizados, já desenvoltos, entretanto, esses elementos externos ao nosso eu, não podem nos dar nada, pois é impossível dar amor, luz, e outros atributos divinos a quem quer que seja.
Por mais que amemos alguém, não poderemos dar-lhe amor na expressão literal, quando amamos um ente querido, o envolvemos com nosso amor, este vai atuar em seu potencial de amor, criando no amago desse ser, um potencial de amor, que vai formar uma cadeia dessa energia divina, e qual acontece com os átomos que acionados em seu potencial, formam uma ressonância possibilitando aconteça a luz elétrica, ou o funcionamento de um motor, através da força motriz.
Mas o amor que apresentamos a alguém funciona apenas como um impulso, não permanece no amago deste ser por muito o amemos, o atributo de amor, é inalienável, pois não podemos nos esquecer de que este é um atributo que herdamos de Deus.
Entretanto é amando aos nossos semelhantes que provocamos a expansão do amor, manifestação de Deus na vida, pois amando-nos, estaremos por ressonância acordando o potencial de amor que trazemos no núcleo da alma, esse potencial divino como herança de Deus na eternidade, vai se expandir ao infinito.
E por não acreditarmos mais, em um Deus antropomórfico, um Deus a nossa imagem física, um Deus mutável que se demora interagindo na vida, e o que é pior atendendo-nos os caprichos, modificando seus designíos, para favorecer-nos, por entendermos que Deus é a Vida do universo é que diremos.
Se o Ser Supremo do universo, tomasse qualquer atitude para modificar-nos um momento doloroso, difícil de nossa caminhada, estaria sendo parcial, pois nos reinos inferiores da natureza estes momentos existem, e Deus os permite, e os permite porque os mesmos fazem parte da evolução.
Ao conceber-nos a vida, como retro informado, herdamos os infinitos atributos do Eterno, - embora em nosso momento evolutivo concebamos apenas alguns - iniciando no reino do minério a busca da individualidade do ser, e estes seres são todos movidos pelo mecanismo da evolução, tanto quanto nós.
Entretanto Deus não altera o curso da vida, e embora entendamos que Ele manifeste uma atenção diferenciada para atender esses seres em seus momentos embrionários, não é verdade, pois o mecanismo da evolução é inalterável.
E esta concepção equivoca, nós a desenvolvemos pelo fato de entendermos que os animais são regidos por instintos, e acreditamos que estes instintos sejam a resultante da intervenção direta do Criador, junto a sua criatura nesta etapa de sua evolução, vero engano.
Deus sendo a vida do universo exterioriza a mesma a todo instante, a partir do reino do minério, e sustenta a mesma na eternidade, o instinto que o animal desenvolve, é a resultante da herança divina, herdada da parte do Criador, não acontece como o imaginamos na intervenção direta do Eterno, modificando, guiando cada elemento da natureza, esta intervenção individual, jamais acontece.
E é evidente de que se não acontece nos reinos inferiores da natureza, e tampouco acontece no reino humanoide, quando O buscamos nos momentos dolorosos de nossas vidas, me direis então você nega a intervenção de Deus a aqueles que o busquem, e eu responderei, de forma direta sim, mas lembro de que Deus ajuda o homem através do próprio homem, um exemplo concreto desta realidade é Jesus.
Se Deus se demorasse atendendo a vida de maneira individualizada, Ele seria mutável, mutável seria sua Lei, entretanto somos informados por Kardec, que um dos atributos de Deus é a imutabilidade, e não da para pensar diferente, pois tudo aquilo que se modifica é imperfeito, e Deus a manifestar-se na vida, é perfeito, é absoluto.
Mas importa esclarecer aqui alguns detalhes, para que eu não deixe duvidas na mente de quem me lê; ao afirmar de que Deus não tem nada mais a nos dar, pois ao nos conceber, já nos dotou de seus atributos divinos, e manifestaremos esses atributos como um eterno vir a ser evoluindo na eternidade, fica a impressão de que seja desnecessário buscar Deus, e mais, que não devamos pedir nada a Ele através de nossas preces.
Importa sem duvida alguma elevarmos nossos pensamentos, altearmos os nossos sentimentos, e num estado de jubilo, então não mais cobrando de Deus uma intervenção a nosso favor, mas buscando Lhe a essência divina, e não será Deus quem nos ira envolver com sua vida, pois isto já acontece na eternidade.
Em momento algum, estamos ou estaremos dissociados da vida de Deus, pois isto seria a morte do espirito, então a lógica nos diz, que estamos sempre envoltos pela Fonte Originaria da Vida, que nos sustenta na eternidade, nos infinitos momentos evolutivos de ser.
Nós é que estaremos nos sensibilizando, e sensibilizados estaremos mergulhando nesse mar infinito de vida, luz e esplendor, e assimilaremos a essência de vida que Dele se manifesta, somos nós que estaremos indo de encontro a fonte originaria de nossa vida.
Se acreditarmos que só devemos buscar a Deus através da prece quando nos demoremos vivendo um momento de dor, ou de dificuldade, estaremos equivocados, lembremo-nos de que existem espíritos de uma evolução que nos escapa a percepção, já suplantaram a matéria, se libertaram dos vícios, enfim não sentem dores, entretanto, buscam a Fonte da Vida Eterna, infinitamente agradecidos pela felicidade que os envolve, alimentando-se das energias divinas para dar curso a ascensional caminhada que lhes esta reservada na eternidade.
Quando afirmo que ao criar-nos Deus já nos favoreceu com seus atributos infinitos, que nada mais tem a nos dar, alguns confrades desavisados, dirão, então Deus nos cria, dota de vida, nos faculta com o livre arbítrio, e nos abandona aos acontecimentos da vida?
Lembremo-nos de que a vida se manifesta envolta por um determino inconfundível, e é este determino que rege os acontecimentos da vida, nada acontece por mera casualidade, tudo obedece a uma razão e uma lógica inconfundível, e de que intervindo no mecanismo da evolução esta presente a Lei Divina, como parâmetro de aferição de nossos atos e pensamentos, a  vida é perfeita, é lógica, é absoluta, pois a vida do universo é Deus.
Mas importa não nos esqueçamos de que além de ser definida, completa e absoluta, é também providencial, pois na eternidade, o Ser Supremo da Vida, nos oferece infinitos meios para que façamos a nossa evolução, como por exemplo, o ar que respiramos as aguas que brotam das fontes, as plantas verdejantes, um colo de mamãe, os cuidados de um papai que no trabalho nos busca os proventos para a nossa sobrevivência, etc.
E no discorrer deste texto, vimos que o Criador se comunica com sua criatura, de mil modos, não o fara através de palavras articuladas, como acreditam ainda alguns irmãos nossos de religiosidade, pois existem aqueles que ainda acreditam que conversaram com Deus, através de um sonho, ou através da audição, e isto é impossível.
Digo que é impossível, pois Deus é a vida do universo, e o universo é infinito, e o Mesmo se manifesta como vida do todo; acreditar na possibilidade de recebermos uma resposta através da palavra articulada da parte do Criador é o mesmo que acreditarmos na possibilidade de nos comunicarmos através da palavra com os anticorpos que habitam nosso organismo.
Sim, nós podemos nos comunicar com os anticorpos, ou com os nossos órgãos internos, mas não através da palavra articulada, mas através de nossa mente emitindo vibrações positivas, no intento de revigorarmos os mesmos, e desta forma cooperamos para que nos curemos de uma enfermidade e conquistemos a saúde.
Em analogia, quando não apresentamos rebeldia, quando nos deixamos quedar dóceis aos desígnios de Deus, nos permitimos envolver pela harmonia que se manifesta da Inteligência Suprema  no universo e encontramos a cura para nossas almas eternas.
E essa realidade acontece quando o espirito já suplantou a matéria, não se detém mais subjugado pelas vicissitudes da vida, então possibilita ao Ser Supremo do universo, derrame sua harmonia, sua paz, e sua luz, e por nos demorarmos receptivos, assimilamos essas emanações divinas, que se manifestam de Deus na vida, ampliando nossa evolução na eternidade.
Mas isto não quer dizer de que o Criador não se comunica com sua criatura, e podemos afirmar mesmo que o faz na eternidade, ininterruptamente, pois Deus nos concebe a vida, e a sustenta, estamos ligados a Deus na eternidade, e para a eternidade, se fosse possível acontecer um rompimento entre o espirito eterno, e a Fonte de Vida do Universo, o espirito morreria, então isto nos leva a compreender que estamos em eterna comunicação com Deus. 
Alguns religiosos procuram comunicar-se com um Deus que seja um velhinho de barbas brancas, e O rebaixam mesmo a condição de um monarca, com uma coroa na cabeça e um cetro na mão, mas não podemos nos esquecer que este é um dos deuses do politeísmo, mas para vermos Deus, nos comunicarmos com Ele, só o conseguiremos através de sua manifestação na tela majestosa da natureza.
Então podemos afirmar, que o Ser Supremo da Vida, nos fala através da poesia, mas não da poesia  escrita ou falada, mas sim da poesia  que é a manifestação da vida gloriosa que O Mesmo manifesta no universo.
O que é que inspira a alma dos poetas? O que é que inspira o coração dos enamorados?
Um poeta busca inspiração  para escrever  suas poesias, ao apreciar as estrelas que reluzem em beleza e luz no infinito do universo, se inspira ainda pelas matas verdejantes, pelas cataratas que se derramam  por entre as pedras formando uma cortina maravilhosa de agua, pelas flores lindas e perfumadas de um jardim, a inspiração do poeta se manifesta, ao apreciar estas belezas que a vida nos oferece.
E um casal divinamente apaixonado, sente inspiração um pelo outro, e um é para o outro a mais bela obra do Criador, entretanto envoltos neste idílio apaixonante, tudo que os rodeia passa a ter uma beleza indescritível, e os mesmos desenvolvem uma poesia divina de amor e paixão, nem sempre articulada, pois nem todos tem o dom da poesia.
Mas se prestarmos uma atenção mais acurada, nos aperceberemos de que é Deus quem nos apresenta através da natureza, uma poesia perene, em que a beleza da vida se manifesta, e nos fala através da sensibilidade de que somos dotados, não somos nós quem criamos o cenário maravilhoso que nos sensibiliza e nos envolve, este nos antecede e nos leva as raias de uma admiração profunda e infinita.
Então respondemos a Deus, através da poesia em voz articulada, vibrante, derramando-nos  através do verbo articulado, e produzimos em muitos casos, poemas imortais e inesquecíveis, e um interprete desses esplendores, é o nosso amigo maravilhoso Casemiro Cunha.
Se vocês ainda não leram esta obra divina, leiam, e se vocês já leram releiam novamente, pois os livros escritos pelos espíritos através das mãos de nosso saudoso Francisco Candido Xavier merecem ser relidos, uma boa leitura.

                                                 Sola