PAE - UM RECANTO DE PAZ

UM REDUTO DE PAZ DE "MARIA DOLORES"

sexta-feira, 5 de fevereiro de 2016

Os prováveis exilados de Capela

José Sola 


Como a doutrina espírita nos outorga a condição de livres pensadores, ao haver lido na revista “Espiritismo & Ciência (especial)”, artigos escritos por Nathalia Leite, Oswaldo Iório, Maria Madalena Naufal e Marcelo Henrique Pereira, artigos estes que tratam dos exilados de Capela, resolvi apresentar a minha opinião a respeito.


É natural que este tema não pode ser definido de maneira absoluta, não temos como afirmar de forma peremptória, se existiram os capelinos, se foram exilados para a Terra, ou não.  

Estaremos, portanto, analisando esta possibilidade; Emmanuel, através da psicografia de Francisco Candido Xavier nos fala em o livro “A Caminho da Luz”, da vinda desses espíritos, reencarnando no Egito, na Lemúria, na Atlântida, etc. 

Entretanto não podemos deixar de lembrar, de que esse exilio não aconteceu num repente, pois a presença dos Capelinos é apercebida nas civilizações mais remotas da história da humanidade, como por exemplo, na Lemuria que desapareceu a seiscentos mil anos passados, na Atlântica que submergiu a doze mil anos, marcando presença ainda junto ao povo Egípcio.

Não vou me demorar no que concerne a respeito da influência desses espíritos nas civilizações existentes na Terra, importa, todavia lembrar que, essas sociedades, viveram um surto de desenvolvimento, que escapa mesmo a nossa percepção; como foram construídas as pirâmides no Egito, haviam os egípcios desenvolvido alguma tecnologia? Criado máquinas com potencial suficiente para transportar as pedras; posicionando-as com precisão geométrica, e não construíram apenas as pirâmides. Temos outros monumentos, que a ciência moderna não explica. 

Eu disse um surto, pois não houve continuidade a essa evolução, e como sabemos a evolução não dá saltos, se faz lenta, mas contínua.

Mas esta não é a questão, pois todos os confrades queridos aceitam os exilados, tanto é assim que nosso amigo o cientista Marcelo estabelece como título de seu artigo; Exilados, sim! Mas de onde mesmo? 

Ficou notória a preocupação de haver, Emmanuel, feito esta afirmação, que acreditam alguns seja precipitado, pois alegam que Capela é uma estrela binária, e está, por isso impossibilitada de manter planetas em órbita, e o nosso querido Marcelo, afirma que Capela é mais recente que nosso Sol.

É lógico que não devemos sair afirmando de forma aleatória as informações  apresentadas pelos espíritos, pois existem espíritos maus, levianos, esclarecidos, bons, superiores e perfeitos. 

Temos que analisar as comunicações, colocando-as à luz da razão, da lógica e do bom senso, aceitando aquilo que nossa consciência permita.

Analisemos Emmanuel; não é um espírito perfeito, mas, é um espírito superior que demonstrou sempre muita responsabilidade em suas afirmativas.

Levando em conta ainda, a responsabilidade que lhe foi atribuída, junto a Francisco Candido Xavier, na difusão da doutrina espírita, pois era Emmanuel que supervisionava todas as comunicações que se faziam pelo Chico. Com certeza não falava por si só, estava subordinado a outros espíritos ainda mais grandiosos do que ele; pois ele representava o movimento espírita no Brasil. E esse movimento tem uma abrangência bem maior de que nossa percepção possa alcançar; haver-lhe-iam permitido os lideres do movimento espírita enganar-se, não haverá esta revelação sido tema de estudo dos espíritos superiores.  

Sem dúvida alguma, devemos tomar muito cuidado com as revelações que nos venha da parte dos espíritos, verificando a lógica e a razão, que as deve acompanhar, e, em certos casos, mesmo que a lógica e a razão as favoreça, não temos como confirmar a veracidade, embora estejamos certos dessa verdade.

Mas o que não deve o espírita é esquecer-se que o espiritismo revelou a humanidade uma gama infinita de informações de que a ciência, ainda não aceitou e não sabemos quanto tempo levará para aceitá-las; aguardar que a ciência faça revelações que lhes escapa ao mensurável, é na verdade, restringir a doutrina aos dogmas obsoletos do passado.

A ciência se equivocou várias vezes e se demora ainda equivocada em diversas questões de importância fundamental para a evolução.

A ciência se demora ateísta, não conseguiu ainda, por orgulho e vaidade, é lógico, comprovar a existência de Deus, para eles, Deus é uma abstração. No entanto a vida a manifestar-se inteligente no universo, é um fato, mas infelizmente, esta se demora na análise acirrada dos efeitos, os compreendem inteligentes, mas não aceitam de forma alguma, um Eu diretor a reger este princípio inteligente da vida.

A pluralidade dos mundos habitados, não foi ainda aceito, pela ciência convencional, pois sei que existem muitos cientistas que individualmente os aceitam.

Se nós espíritas, nos demorarmos à espera que a ciência assuma essa realidade, nos demoraremos dificultados em compreender a misericórdia, o amor e a justiça de Deus não teremos como aceitar a Lei Divina como uma lei sábia e equitativa; pois como explicar a perfeição de Jesus? Sabemos por informações dos espíritos, haver sido ele e seus assessores divinos os construtores de nosso planeta.

Se não houvessem outros mundos habitados, teríamos que aceitar que Deus é parcial, ou seja, tem privilegiados, pois nós habitantes da Terra, fomos concebidos para conquistarmos nossa evolução, através das lutas e das dificuldades, enquanto que estes avatares divinos, sem méritos, pois não conquistaram a evolução, foram criados perfeitos, usufruindo das bênçãos da paz, e da felicidade infinitas.

A pluralidade dos mundos justifica a Lei Divina, pois compreendemos que Jesus e outros espíritos perfeitos que cooperam com Deus na obra da Criação, viveram suas experiências, fizeram sua evolução em outros mundos que provavelmente já se decompuseram, por haverem cumprido sua finalidade.

A ciência no campo da Astronomia se demora equivocada quanto ao início do universo, a aproximadamente quinze bilhões de anos na grande explosão, com a teoria de Big Bang; pois conforme esta teoria, o universo aconteceu a partir da explosão de um ovo cósmico, composto de neutrinos. 

Partindo do princípio que a força gravitacional esta diretamente relacionada à massa, a lógica nos diz que este ovo cósmico imensurável como o teria que ser, para formar o universo matéria, possuiria uma força gravitacional infinita.

Em astronomia estamos informados que os buracos negros acontecem, quando da explosão de uma estrela de primeira grandeza, em que, parte da matéria dessa estrela é lançada no espaço, enquanto que outra parte implode devido à força gravitacional, ferindo o universo espaço-tempo, dando origem a este fenômeno; quando da explosão desse ovo cósmico, pela lógica, não haveria acontecido um imenso buraco negro?

Outra premissa que derroga esta possibilidade, é que as galáxias, os mundos e sois, continuam a nascer de forma natural e espontânea, obedientes aos desígnios da vida, a leis matemáticas e precisas.

Levando em consideração, que se o universo matéria houvesse realmente acontecido a partir da grande explosão, não podemos negar que esta matéria compacta estava localizada no universo energético, além de já existir como um enorme corpo composto de neutrinos.

Se estivesse falando a ateístas, teria que seguir outro caminho, mas como me dirijo aos espíritas, lembro ainda que Einstein demonstrou que energia e matéria são elementos compostos de uma mesma substância, energia é matéria em movimento em aceleração, matéria é energia decomposta e nós espíritas compreendemos que a vida, como manifestação de Deus, é a resultante da maturação dessa substância, vivendo momentos diferentes de ser.

Haveria Deus se contraído, se omitido, deixando de manifestar a vida em um período da eternidade?

Edmond Halley, no ano de 1742 anunciou que o cometa a que atribuíram o nome de Halley estaria passando pela Terra em 1758, dezesseis anos depois, sem instrumentos apropriados que permitissem uma observação minuciosa, e a passagem do cometa confirmou-se. Enquanto que com observatórios dotados de telescópios poderosos, como os da Califórnia, no ano de 1985, os astrônomos anunciaram que o cometa Halley estaria a se apresentar com uma calda do comprimento de onze luas, seria visto a olho nu, o que não aconteceu, passou quase imperceptível.

A materialização dos espíritos é um fato comprovado pelo famoso químico e físico inglês, William Crookes, quando obteve a materialização de Katie King através da médium Florence Cook, este fato não é reconhecido pela ciência, e não se trata de uma premissa, é um fato.

Ao apresentar estes equívocos da ciência (existem infinitos outros), não tenho a pretensão de combatê-la, pois a ciência não se demora no estreito empirismo em que pretendem alguns homens retê-la. O faço apenas para alertar aqueles que acreditam cegamente nas afirmativas por esta apresentada, pois a ciência é sem dúvida alguma um instrumento prioritário da evolução, sujeita, todavia a acertos e erros como tudo o que é trabalhado pelas mãos humanas.

A ciência tem desmistificado os dogmas das religiões ortodoxas, tem através dos gênios da humanidade, tais como Newton, Galileu, Pitágoras, Ptolomeu, Arquimedes, Einstein, e outros tantos, impulsionado o conhecimento humano. Nos tem apresentado através da ciência utilitarista o conforto e o bem estar; através da medicina, a saúde para o corpo, etc., negar a importância da mesma, na evolução da humanidade é cegueira absoluta, é ignorância total.

Verifiquemos agora, a possibilidade ou impossibilidade de haver existido vida no sistema de Capela, pois as estrelas principais que constituem este sistema são de primeira magnitude e são estrelas binárias.

Se o sistema de Capela se constituísse apenas da estrela dupla, uma delas nove vezes, e a outra doze vezes maior que o sol, se tornaria difícil pela lógica, diante dos estudos desenvoltos pela astronomia, aceitar esta possibilidade, entretanto conforme a própria astronomia, o sistema de Capela que esta localizado na constelação de Auriga, é composto desta estrela dupla e mais nove estrelas.

Emmanuel não afirma que os exilados de capela vieram da estrela, ou que o planeta de onde vieram orbitava em torno de capela nos diz exilados do sistema de capela; nenhum desses outros sóis que fazem parte do sistema teria as condições de nosso sol, sendo orbitado por planetas, como o nosso, e os demais que o circundam?

O nosso sistema solar órbita em torno de Alcione ou Eta, estrela central da constelação das Plêiades é ele a oitava estrela da constelação, localizada a aproximadamente 28º de Touro, e leva 26 mil anos para completar uma órbita ao redor de Alcione.

Conforme os espíritos, a Terra esta deixando de viver a condição de mundo expiatório, para servir de mundo regenerador, e ainda conforme estes muitos espíritos serão exilados da Terra para um mundo primitivo, como o era o planeta quando dos exilados, pois exilados vieram, de onde, é que estamos procurando verificar. 

Quando a razão e a inteligência permitirem aos habitantes desse planeta, analisar e verificar de onde teriam vindo estes exilados, não seria possível, afirmassem que somos exilados do sistema de Alcione, por ser esta a estrela principal, de maior intensidade luminosa e, portanto mais fácil de ser detectada.

Outra tese opositiva a possibilidade de serem os exilados, do sistema de Capela, é que Capela é uma estrela mais jovem que o nosso sol, o que parece haver algum equívoco, pois analisados conforme a linha espectral, nosso sol pertence à categoria G2 e Capela a categoria GO, possuem ambas luz amarelada, o que deixa entrever que são aproximadamente da mesma idade, pode haver diferença de milênios, mas não temos como afirmar de forma peremptória qual das duas estrelas brilhou primeiro no universo, pois mesmo pela analise espectral, o que nos permite verificar com precisão a idade de uma estrela é a cor de luz que ela irradia, e, esta mutação consome milênios.  

Pelo que pudemos analisar, conforme informações da ciência, não existem dados suficientes para afirmarmos que não existe possibilidade de vida no sistema de Capela, tampouco temos condições para afirmar que exista vida, com certeza para que possamos dar um veredicto exato, teremos ainda que aguardar alguns milênios.

Entretanto, como eu disse no início deste tema, não nos é possível acreditarmos que Emmanuel haja feito uma revelação leviana, pois é um espírito idôneo, representou junto ao Médium Francisco Candido Xavier um movimento importantíssimo no que concerne a evolução da humanidade, este movimento deu continuidade as obras básicas de Allan Kardec, e difundiu a doutrina espírita no Brasil. Com certeza Emmanuel esteve assessorado por outros espíritos grandiosos como ele, e alguns ainda mais evoluídos; houvesse este se equivocado, não teriam os outros espíritos, o alentado quanto ao engano em que se demorava?

Se esta questão nos preocupa a ponto de estarmos debatendo o assunto, procurando através da lógica e da razão, uma solução para o mesmo, pelo zelo que temos pelo espiritismo imaginemos eles os espíritos superiores, que estão no comando desse movimento. 

Allan Kardec, nos alerta quanto à necessidade de alterarmos um conceito doutrinário do espiritismo, quando verificarmos que este conceito esta em divergência com dados apresentados pela ciência, concordo como não concordar, mas desde que a ciência demonstre com lógica e exatidão a veracidade desse conceito, pois é precisamente isto o que Kardec nos pede.

O espiritismo é ciência, filosofia e moral, não devemos acreditar em qualquer espírito, aceitando revelações apresentadas por estes, pelo simples fato de serem espíritos, pois existem espíritos desencarnados mais ignorantes que os homens. Tampouco devemos aceitar informações da ciência, sem passarmos essas informações pelo crivo da razão, pois o cientista é um espírito encarnado, é homem, pode ser evoluído, ou ignorante, não no que respeita a cultura, mas o que concerne à maturidade de espírito.

Acredito seja precipitado de nossa parte, fazermos afirmativas, quanto à possibilidade ou impossibilidade de havermos convivido na Terra com exilados de Capela, estudemos a questão com muito carinho, mas vamos aguardar o tempo, pois com o tempo tudo se esclarece.

Não devemos, entretanto, esquecer que o espiritismo tem andado sempre à frente da ciência convencional e, das religiões ortodoxas, pois dentre outras coisas, o espiritismo nos antecipou a crença na pluralidade dos mundos habitados, o fenômeno das materializações, a comunicação dos espíritos, derrogou o inferno eterno para sempre, etc.

Não pretendo com este trabalho, apresentar uma solução para esta questão, pois não tenho uma prova cabal, como não a possuem os que negam a possibilidade dos exilados de Capela na Terra, apenas estou opinando, procurando ater-me à lógica e a razão, mas pelo apresentado, vemos que embora não possamos apresentar uma prova comprobatória, de que os exilados eram mesmo capelinos, a lógica, o bom senso, e a idoneidade de Emmanuel nos favorecem a afirmar que realmente os exilados eram de capela.